I. DESCRIÇÃO
Descrição

No âmbito da igualdade de género têm-se verificado grandes progressos, tanto ao nível da consagração deste direito na lei, como ao nível da entrada de mulheres no Ensino Superior e no mercado de trabalho, que tem sido crescente. Contudo, ainda persistem algumas desigualdades.

As mulheres continuam a ter taxas de emprego mais reduzidas, salários mais baixos e uma maior precariedade no trabalho, estando ainda sub-representadas na tomada de decisão e na gestão de topo. Algumas das razões para tal são a acumulação de trabalho pago e não-pago, a divisão desigual de tarefas na esfera doméstica, a falta de serviços de acolhimento de crianças, bem como a falta de medidas de apoio à conciliação entre trabalho e vida familiar, o que deixa as mulheres com menos tempo para as suas carreiras. Os estereótipos de género influenciam ainda homens e mulheres a agir de acordo com os papéis de género tradicionais, nomeadamente, o de “ganha-pão” e o de “fada-do-lar”, respetivamente. Para além disso, há aspetos estruturais nas empresas que colocam as mulheres em desvantagem. Por exemplo, as vagas para posições de supervisão não são frequentemente anunciadas, uma vez que os escolhidos são diretamente abordados pela direção da empresa. As mulheres têm ainda um menor acesso a redes informais, bem como contactos limitados com potenciais mentores.

Em relação ao setor do turismo, a maior parte da sua mão-de-obra é feminina. Adicionalmente, em muitos países, nomeadamente Portugal, as mulheres são a maioria dos(as) estudantes e diplomados(as) do Ensino Superior nesta área. Contudo, o emprego em turismo é marcado por fortes desigualdades: enquanto os homens ocupam a maior parte das posições de topo e melhor remuneradas, as mulheres tendem a ocupar as posições hierarquicamente inferiores e com remuneração inferior, tendo mais dificuldade em progredir profissionalmente e em quebrar o “teto de cristal”.

As questões de género no setor do turismo têm sido abordadas por alguns autores (Minu Hemmati, Vivian Kinnaird, Derek Hall, Thea Sinclair e Margaret Swain, entre outros), mas no contexto Português esta situação é ainda pouco estudada, encontrando-se dispersos os escassos estudos existentes. O Projeto Gentour I foi idealizado com o objetivo de suprimir esta lacuna, tendo como objetivo analisar e discutir, de forma crítica, as desigualdades de género no setor do turismo em Portugal.


Projeto
Iniciativas
Produção Científica
Imprensa
Ligações Úteis
  Home Galeria Contactos Inglês Mapa Site
      parceiro     parceiro     parceiro     parceiro     financiamento     co-financiamento Facebook Twitter  W3C CSS válido!
idtour